More

    Galáxia satélite da Via Láctea pode ser vista a olho nu esta semana; saiba como

    Galáxias satélites são aquelas que orbitam uma galáxia de tamanho maior, conhecida como primária, em razão da interação gravitacional entre elas, de maneira semelhante ao que ocorre entre os planetas do Sistema Solar e o Sol. Em se tratando da Via Láctea, as galáxias satélites mais conhecidas são a Pequena e a Grande Nuvem de Magalhães.

    Resuminho:

    Galáxias anãs que orbitam gravitacionalmente uma maior são chamadas de galáxias satélites;As galáxias satélites mais próximas da Via Láctea são a Pequena e a Grande Nuvem de Magalhães;Elas são facilmente observáveis a olho nu a partir do hemisfério sul;Esta semana, a Grande Nuvem de Magalhães estará ainda mais fácil de ser vista, já que vai atingir o ponto mais alto no céu noturno.

    Batizadas em referência ao navegador português Fernão de Magalhães, que liderou a primeira navegação ao redor da Terra, quando elas foram observadas pela primeira vez, essas galáxias podem ser vistas somente a partir do hemisfério sul. 

    Na imagem acima, é possível ver a Grande e a Pequena Nuvem de Magalhães nas proximidades da Via Láctea. Crédito: Udo Kieslich – Shutterstock

    Galáxias satélites mais próximas da Via Láctea, ambas são visíveis a olho nu, no entanto, há certos momentos em que elas estão mais bem posicionadas no céu noturno, facilitando a observação. E isso vai acontecer com a Grande Nuvem de Magalhães esta semana.

    Leia mais:

    Estas são as estrelas mais rápidas da Via Láctea“Galáxia do Olho Maligno” pode revelar futuro da Via LácteaVia Láctea ganha uma nova galáxia satélite – a mais escura de todas

    Como observar a Grande Nuvem de Magalhães, galáxia satélite da Via Láctea

    De acordo com o guia de observação astronômica InTheSky.org, na terça-feira (12), por volta da meia-noite (pelo horário de Brasília), esta galáxia atinge seu ponto mais alto no céu. Nas noites subsequentes, ela culminará quatro minutos mais cedo a cada dia.

    Do ponto de vista de um observador baseado em São Paulo, a Grande Nuvem de Magalhães estará visível das 19h21 às 4h36, em torno de 28º acima do horizonte a sul, na constelação de Dourado. Embora a magnitude de 0,9 permita que a galáxia seja vista a olho nu, a visualização fica bem melhor através de um par de binóculos.

    Para saber as coordenadas referentes à sua localidade, você pode consultar aplicativos como Stellarium, Star Walk, Star Chart, Sky Safari ou SkyView.

    Durante sua “dança” em torno da Via Láctea ao longo de bilhões de anos, a gravidade das Nuvens de Magalhães arrancou de cada uma delas um enorme arco de gás – conhecido como Corrente de Magalhães. Esse fluxo ajuda a contar a história de como a Via Láctea e suas galáxias mais próximas surgiram e o que esperar do futuro.

    O post Galáxia satélite da Via Láctea pode ser vista a olho nu esta semana; saiba como apareceu primeiro em Olhar Digital.

    Últimas Notícias

    Notícias Relacionadas